Wassef contratado para monitorar ex-mulher de Orlando Diniz, diz Lava Jato

A Lava Jato denunciou na ultima sexta-feira, 25, o ex-defensor da familia Bolsonaro Frederick Wassef, as investigações da operação levou ao que tudo indica que Wassef foi contratado para monitorar a ex-mulher do presidente da Fecomercio, Orlando Diniz.

Wassef seria pago com o dinheiro desviado do Sistema S (Sesc, Senac, Fecomercio),os pagamentos usariam o escritorio de advocacia como interposto de forma que não chamasse atenção para o contrato.

Segundo a Operação Lava Jato, o verdadeiro objeto dos serviços foi o monitoramento pessoal de Daniele Paraíso que, além de funcionária do Senac, era recém-separada de Orlando Diniz.

“(Daniele) havia recém se separado dele, pessoa a quem o colaborador (Orlando Diniz) imputava a pecha de persegui-lo, razão pela qual ele desejava responsabilizar por suspeitas de vazamentos”, sustenta a denúncia.