Planejamento descuidado é uma das principais causas de arrependimento dos consumidores.

A Black Friday já faz parte do calendário anual de compras dos brasileiros. Com a empolgação causada pelo período de grandes descontos em diversos produtos, a dificuldade de organizar-se financeiramente acaba sendo um pouco maior. Contudo, com um pouco de atenção, é possível evitar sustos e frustrações pós-compras.

Não é só nos produtos cotidianos que o consumidor deve ficar de olho. Viagens e até bens duráveis, como carros e imóveis, podem sofrer alterações de preços que não são vantajosas necessariamente a longo prazo. Confira, a seguir, os 5 erros mais comuns cometidos pelos consumidores durante a Black Friday.

1.  Comprar por impulso

O fato é que a Black Friday realmente é um período muito bom para os lojistas e os consumidores. O atrativo de encontrar produtos de ponta com preços superbaixos acaba fazendo com que muitas pessoas gastem além da conta. Por isso, pesquisar valores com antecedência e traçar um teto de gastos é muito necessário.

Se somente a loja Y tem o produto que você está de olho desde o começo do ano, fique atento às oscilações no preço. Como a Black Friday ocorre no fim do ano, quando naturalmente o varejo explode em promoções, o valor do produto pode ficar melhor após o período.

2.  Não prestar atenção na segurança

Principalmente, com o aumento considerável das vendas on-line em 2020, a Black Friday deste ano promete ser uma das mais digitais da história. Ainda com receio de sair para as compras ou preferindo a comodidade de fazer tudo pelo celular, o consumidor está atento e confortável na internet.

Porém, é necessário ter certeza que as lojas que estão oferecendo os produtos que você deseja são confiáveis. Tem sido muito comum sites clonados de estabelecimentos verificados, que roubam as informações pessoais dos usuários.

Uma dica simples é conferir os certificados de segurança no rodapé do site. Preste atenção em qualquer excesso de dados solicitados e exija que o status da compra seja encaminhado por e-mail.

3.  Ignorar detalhes da venda

Outro erro bastante comum, cometido pelos consumidores nesta época do ano, é não prestar atenção nos motivos pelo qual determinado produto está com o valor tão baixo. É muito difícil que os itens de ponta de estoque sejam vendidos com defeito, mas eles podem não oferecer troca ou garantia após a venda.

Se, na hora da compra, você não se atentar para esse tipo de informação, e o produto apresentar algum tipo de problema, você pode ficar com uma mercadoria encalhada em casa e acabar jogando dinheiro fora.

4.  Não fazer um orçamento

O planejamento para as compras durante a Black Friday deve começar semanas ou até meses antes. Ele não se resume a apenas acompanhar a mudança de preços: você deve definir um orçamento para evitar gastos acima do seu limite.

Fazer uma lista separada por categorias é um ótimo começo. Agrupe eletrônicos, móveis, roupas e itens para a casa em uma lista, definindo um teto de gasto para cada uma delas. Na hora de comprar, tenha a listagem em mãos e ajuste as despesas conforme as ofertas encontradas.

5.  Não guardar recibos

Mesmo que o produto que você estiver comprando não ofereça garantia ou devolução, guarde todo e qualquer tipo de recibo obtido nas lojas. Além de te ajudar a saber quanto exatamente foi gasto, você tem como exigir seus direitos de consumidor em caso de algum tipo de problema. 

Por fim, sempre confira o valor no caixa, com os preços informados nas etiquetas, e em caso de discordância, conteste a quantia ali mesmo.