Curta e Compartilhe!

Tecnologia

Como melhorar o relacionamento com o cliente?

Publicado

on

Parte importante do processo de fidelização do consumidor e também de ampliação do lucro de uma loja online, o relacionamento com o cliente é requisito básico para o sucesso do negócio. Infelizmente, esta área nem sempre é usada de forma estratégica.

Melhorar o relacionamento com o consumidor é importante para obter opinião honesta sobre os processos de uma empresa, ter uma base fiel para validação de novos produtos, receber indicação de potenciais clientes e diversos outros benefícios.

O uso de um bom sistema de CRM (Customer Relationship Management), ajuste da linguagem de acordo com os clusters (públicos-alvos) e momentos da jornada de compra são ações extremamente importantes para encurtar essa distância entre uma organização e os seus consumidores.

“Já não basta simplesmente satisfazer clientes: é preciso encantá-los.” Philip Kotler, um dos mais conhecidos professores de marketing e que defende que as empresas devem gerar valor para o consumidor.

Benefícios para as marcas

Manutenção do cliente – O Custo por Aquisição (CPA) é uma métrica que pode ter um valor bem alto em alguns segmentos. Quando um novo consumidor fica pouco tempo ou faz apenas um pedido é uma preocupação, pois pode representar prejuízo para a empresa.

Ter uma boa estratégia de marketing de relacionamento pode ser eficiente para apresentar a ele outros produtos e serviços disponíveis e que podem ser úteis em outras necessidades.

Essa estratégia amplia o tempo de vida de um cliente, fazendo com que ele gaste mais com a sua empresa, sem ter necessidade de um novo gasto na sua aquisição.

Fidelização – Algumas marcas conseguem desenvolver uma relação de desejo tão forte que os consumidores optam por experimentar tudo que ela oferece. Este é o sonho de todo empreendedor!

A fidelização não se constrói de uma hora para outra, é necessário entender bem a sua carteira de clientes, ser elegante e superar as expectativas deles.

Otimização do valor do cliente – É bem difícil um consumidor gastar um valor elevado em um primeiro peido. Isso acontece pela insegurança provocada por causa da falta de experiência com tal marca.

Quando ele tem uma compra que supera as expectativas e uma boa interação com a empresa, as chances dele voltar e fazer um pedido de valor superior são muito grandes.

Ou seja, é muito importante que o prazo de entrega seja atendido, a embalagem cuide para que cada item chegue intacto e todas as demais promessas feitas durante a compra sejam cumpridas.

Publicidade espontânea – Dizer que você é melhor com base nas suas observações é uma visão que não ganha tanto peso quanto uma pesquisa feita com a base de clientes.

Peça aos seus clientes para avaliar, de forma honesta, a qualidade dos itens que você fornece.

4 formas de melhorar o relacionamento com o cliente

Depois de entender os benefícios, é hora de aprender como encurtar essa distância entre o mundo empresarial e o consumidor final. Vamos lá!

Ofereça um período de degustação – O cliente fica muito mais satisfeito quando a marca lhe dá o direito de experimentar algo em primeira mão. Além de ser uma ótima ação de ativação, sua empresa também pode receber feedbacks honestos e construtivos sobre ajustes que, eventualmente, precisam ser feitas.

Tenha atendimento humano nas redes sociais – Você já fez um estudo das personas que interagem e consomem seus serviços? Nem sempre é necessário estar presente em todas as redes sociais, porém, naquelas que for atuar, disponibilize um atendimento humano.

O surgimento das ferramentas de chatbots permite que o atendimento básico funcione 24h, isso é necessário, porém, algumas interações podem ter abordagem mais íntima, em uma atitude que terá como benefício a fidelização daquele consumidor.

Se você ainda não estudou os perfis da sua base de dados, considere tomar essa medida imediatamente, antes mesmo de iniciar as medidas para melhorar o relacionamento com o seu cliente. Isso vai te ajudar a evitar alguns erros bem comuns na linguagem e comunicação.

Mantenha-se ativo nas redes sociais mais populares para o seu público-alvo, use postagens aprimoradas ou patrocinadas em alguns casos para garantir que seus consumidores vejam seu conteúdo e interaja com a marca.

Mostre o lado humano da sua empresa – Dê cara aos departamentos e compartilhe isso com a sua base. Essa atitude é importante, principalmente, em marcas que atuem com o público jovem ou fortemente engajados, como são os veganos, os geeks e amantes de carros, por exemplo.

Potencializar os resultados de sua base de clientes começa com a formação de um relacionamento honesto com eles, isso permite uma conexão mais profunda entre os seguidores e a marca, estabelecendo uma corrente de confiança entre os seus consumidores.

Recompense clientes fiéis – Qual a melhor maneira de potencializar os resultados de sua base de clientes do que os mantendo fiéis? Os consumidores apreciam as empresas que se esforçam para retribuir algo como forma de valorização e agradecimento.

Considere recompensar seus clientes em sua estratégia de melhorar o relacionamento com eles, ofereça vantagens extras, cartões de fidelidade, códigos de desconto e produtos personalizados de sua marca. Isso pode ser feito por meio de um programa de pontuação baseado em pontos, por exemplo.

Um alerta para os próximos lançamentos e atualizações em forma de “oferta antecipada” também funciona. Consumidores adoram exclusividade – faz com que se sintam parte do seu “fã-clube”. Outra ideia é recompensar os clientes que indicam outras pessoas para sua base.

Fortaleça esse casamento

Adotando as estratégias certas, sua empresa não apenas verá uma onda de novos pedidos, mas também desfrutará do apoio contínuo de uma base fiel ao melhorar o relacionamento com o cliente.

São vários os benefícios que a sua marca poderá usufruir com este aumento do engajamento dos consumidores, como já falamos acima. O custo para manter um cliente é sempre infinitamente mais barato do que atrair um novo, além de que o retorno financeiro é bem superior, o que aumenta a lucratividade.

Isso prova que preservar a lealdade do cliente deve ser um indicador chave para analisar a performance do seu time.

Comentar

Comente a notícia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tecnologia

Como vender no Linkedin?

Fundado há 17 anos, o Linkedin é a maior rede social voltada para relacionamentos profissionais do mundo, mas será que tem como vender no Linkedin?
Pois, bem, o Linkedin tem aproximadamente 690 milhões de usuários, 43 milhões só no Brasil.
Sua missão inicial era conectar profissionais em âmbito global, para torná-los mais competitivos e bem-sucedidos.

Publicado

on

Como vender no Linkedin? Um checklist para vender no Linkedin

Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News

Fundado há 17 anos, o Linkedin é a maior rede social voltada para relacionamentos profissionais do mundo, mas será que tem como vender no Linkedin?

Pois, bem, o Linkedin tem aproximadamente 690 milhões de usuários, 43 milhões só no Brasil.

Sua missão inicial era conectar profissionais em âmbito global, para torná-los mais competitivos e bem-sucedidos.

A plataforma oferece conexão com profissionais e empresas de todo o mundo, marketing das empresas (perfil das empresas), marketing pessoal (perfil do profissional), cursos (conteúdos), informações do mercado de trabalho e da economia nos mais diversos segmentos, recrutamento e seleção de talentos profissionais, oportunidades de emprego em diversos portes de empresas e busca por leads para o trabalho comercial de prospecção.

Uma boa prática comercial de prospecção, por exemplo, é buscar no linkedin informações sobre preferências, tendências e até mesmo o nome da pessoa responsável a ser abordada, de uma determinada empresa (o “tomador de decisão”).

Mas e se o propósito for vender, pode?

Sim, claro que pode. Há uma ferramenta própria para isto dentro da plataforma, o Sales Navigator, que conecta compradores a vendedores (ferramenta paga, com o preço de R$ 239,99 mensais).

Mas temos que entender o contexto antes de traçar uma estratégia demasiadamente agressiva e invasiva.

O ambiente é totalmente profissional, o maior destaque se dá entre as empresas de grande porte, portanto o recomendado é que sigamos os padrões de etiqueta profissional do corporativo.

O ambiente é o B2B (empresa vendendo para empresa)

Se o objetivo for a venda B2C (empresa para consumidor final), este não é o ambiente mais apropriado.

O motivo é bem simples, o Linkedin é um ambiente de trabalho, onde os profissionais estão ali representando as empresas onde trabalham, tratando de assuntos profissionais e não pessoais. Eles não estão ali para fazerem compras pessoais.

Precisamos respeitar tanto os profissionais quanto o ambiente, ok?

A plataforma já deixou de servir apenas para procurar emprego há tempo. Claro que existem desempregados na rede em busca de networking e vagas, sendo um pilar importante de cursos como o Profissão HomeOffice, porém a plataforma passou a ter um propósito muito mais focado no compartilhamento de conteúdo e experiências.

No ambiente B2B também abordaremos pessoas, profissionais em expediente de trabalho, porém oferecemos produtos e/ou serviços que melhorem as condições atuais das empresas em que eles trabalham.

Oferecemos vantagens, onde o profissional abordado precisará perceber valor naquilo que oferecemos.

Precisará enxergar, dentro da nossa storytelling (técnica de marketing que descreve a história sobre o produto ou serviço que estamos anunciando), um momento futuro, imaginando a utilização prática daquilo que estamos ofertando e percebendo os benefícios que ele e sua empresa irão usufruir.

Entende?

O ambiente é profissional e estamos ali, como consultores comerciais, para oferecer a melhor solução para a empresa que o nosso interlocutor trabalha.

Somos solucionadores de problemas, agentes que transformam dores em desejos realizados, medos e sonhos realizados.

A abordagem é sutil e atrativa, simples e objetiva, segura e precisa.

Para executar a melhor estratégia de abordagem, é necessário cumprir com todas as peculiaridades de um eficiente processo comercial (matéria vasta que podemos tratar em outra ocasião).

Sem entrar no tema processo comercial, apenas dando um alerta, este não é um ambiente para representarmos qualquer empresa, qualquer produto e utilizando qualquer argumento.

Nossos interlocutores são altamente profissionais, treinados, capacitados para tomar as melhores decisões de compra e/ou parceria e só o farão se realmente a nossa empresa for boa, o nosso produto ou serviço for bom, a nossa proposta for boa e, principalmente, se de fato irá contribuir com a melhoria da empresa que ele representa.

Podemos até ordenar um checklist para isso!

Checklist de como vender no Linkedin:

  1. Sua empresa, ou a empresa que representa, tem condições de atender uma grande empresa?
  • O perfil da sua empresa e o seu perfil do Linkedin são bem feitos, bem apresentados e causam boa impressão (está dentro do padrão corporativo)?
  • O que tem para vender agregará valor, de verdade, à empresa compradora?
  • Seu produto ou serviço é realmente bom? Você compraria se estivesse no lugar do seu interlocutor? Por qual(is) motivo(s)?
  • Você estudou bastante a empresa e a pessoa que você vai abordar?
  • Como você irá causar uma transformação positiva para o seu interlocutor e/ou para a empresa que ele representa com o seu produto ou serviço (qual a dor e/ou o medo que você solucionará e transformará em desejo e/ou sonho realizados)?
  • Caso tenha um superior imediato, já debateu com ele a melhor estratégia de abordagem (pode ser com o seu sócio ou com a sua equipe, dependendo do seu projeto)?
  • Revise quantas vezes for preciso o seu script de abordagem, se certificando que ele é simples, objetivo e curto. Você não vai vender seu produto logo na abordagem, o seu objetivo inicial é agendar uma reunião para apresentação do seu projeto, produto ou serviço.

Dicas de ouro para vender no Linkedin:

  1. Neste ambiente não basta ser um simples vendedor, aqui “o buraco é mais embaixo”.

Aqui temos que ser consultores comerciais, autoridades no assunto, conhecedores engajados e repletos de informações relevantes para compartilhar com nossos clientes.

O ambiente é profissional e nós somos profissionais altamente qualificados.

  • Foco, simplicidade, objetividade e firmeza (segurança) nas conversas.
  • Assim que possível, pegue o telefone do interlocutor.

O ideal é criarmos conexão com ele, de preferência agendando uma reunião presencial.

Estamos o interrompendo e pedindo algo a ele sim, uma reunião. Mas o intuito é ajudá-lo,e entregá-lo algo que ele ainda não tem e que irá ajudá-lo de alguma forma, agregaremos valor.

  • O tratamento é de igual para igual. Partiremos sempre do princípio de que ele é um excelente profissional e nós também somos.

Sempre com respeito e educação, mas em mesmo pé de igualdade.

  • Se possível, utilizamos a ferramenta Sales Navigator, “joguemos com a regra debaixo do braço”. Assim ninguém questionará a nossa ética.

Reflita sobre os Números do Linkedin:

– 2003, o ano em que foi criado.

– 2011, ano em que chegou ao Brasil.

– 690 milhões de usuários no mundo.

– 43 milhões de usuários no Brasil.

– 100 mil novos perfis por semana.

– 2 milhões de posts, vídeos e artigos no feed da plataforma a cada dia.

– 4 milhões de empregos foram concretizados via Linkedin.

– US$ 26,2 bilhões foi o valor pago pela Microsoft , em 2016, para comprar o Linkedin. (fonte: Isto é Dinheiro, matéria de 22/05/2020)


Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News
Continuar lendo

TECNOLOGIA

CONHECIMENTO

NOTÍCIAS POPULARES