Até o ano passado, quando um lojista planejava seus objetivos para os próximos meses, certamente não incluía a possibilidade de uma pandemia de proporções globais como risco. Isso mudou com o novo Corona Vírus, que exigiu uma reinvenção dos comerciantes, lidando ainda com a dúvida de como se preparar para a incerteza da Black Friday 2020.

Se por um lado as pessoas estão mais restritas em relação aos gastos, por outro as compras online nunca foram tão requisitadas. De acordo com a Associação Brasileira do Comércio Eletrônico, houve um aumento de 30% nas vendas online durante a quarentena.

O motivo é simples: com a impossibilidade de visitar lojas presenciais, até mesmo quem não tinha o hábito de comprar online acabou se adaptando à essa nova realidade. Dessa forma, apesar do impacto sofrido, muitos lojistas conseguiram manter suas operações, mesmo que com algumas reduções.

Mas diante das condições atuais, será que vai ter Black Friday em 2020?

O histórico da Black Friday

Neste ano, a Black Friday completa 10 anos no Brasil. O movimento começou em 2010, quando cerca de 50 lojas online fizeram parte da campanha. Essas lojas, juntas, tiveram o faturamento de R$ 3 milhões em vendas de produtos.

De olho no sucesso, outros e-commerces passaram a participar nos anos seguinte, estendendo o conceito mesmo para as lojas presenciais.

Com tantas promoções disponíveis, a Black Friday entrou de vez para o calendário dos brasileiros e há quem espere ansioso pelo momento de fechar bons negócios, no final de novembro.

Por mais que o contexto geral de 2020 não seja dos mais favoráveis quando falamos de comércio, não há nada que indique que a Black Friday vai deixar de acontecer este ano. Pelo contrário: especialistas em varejo tem a expectativa de que essa será a melhor Black Friday de todos os tempos.

Como se preparar para a incerteza da Black Friday 2020 enquanto lojista?

Nos anos anteriores, muitas lojas online começavam as preparações para a Black Friday ainda em março, ou seja, eram oito meses planejando o que seria feito, tanto em matéria de ofertas, quanto atendimento e estrutura logística.

Para quem não começou a pensar na Black Friday no seu negócio, saiba que ainda há tempo! Este é o momento de “colocar a mão na massa” para apresentar boas oportunidades para os seus clientes em novembro.

Planejamento

Ainda que a Black Friday esteja relativamente próxima, planejar o que será feito é a melhor forma de ter segurança para aumentar os lucros nessa data especial. No planejamento é necessário levantar os elementos que você já tem e aqueles que ainda precisa ter.

Um bom exemplo é a página online. Enquanto muitas lojas já possuem um e-commerce estruturado, outras ainda não contam com o recurso, especialmente marcas que operavam somente em pontos físicos. Se for seu caso, corra para construir a loja online, seja com uma plataforma própria ou por meio de ferramentas em redes sociais.

Planeje também como será o atendimento no período e não deixe de considerar a questão das entregas. Quem utiliza os serviços dos Correios precisa saber que as operações estão reduzidas e é fundamental que o consumidor também tenha consciência disso.

Pense nas ofertas especiais

A Black Friday tem como principal característica a redução nos preços. Por isso, é necessário verificar o seu estoque e os produtos que mais despertam a atenção dos consumidores para elaborar promoções atrativas.

Lembre-se de fazer ofertas de itens que você consegue entregar, sem precisar buscar em fornecedores externos. Além disso, é importante que o marketing do e-commerce dê um foco especial para que o consumidor encontre rapidamente as suas ofertas especiais.

Recursos extras

Você também pode contar com recursos extras para dar uma forcinha nas vendas, como a criação de um cupom de desconto especial para a Black Friday. Esse tipo de voucher é interessante porque permite identificar quantas pessoas foram impactadas pelas peças de marketing que apresentavam o cupom.

Vale entrar em contato com grandes plataformas de cupons de desconto para criar uma página para sua loja. Essas plataformas costumam ter um pico de acessos na Black Friday, uma vez que as pessoas estão mais propensas a comprar. Assim, ao ter um cupom em mãos, as chances de fechar negócio são bem grandes.

De fato, o segredo para ter sucesso na Black Friday 2020 é pensar em todos os detalhes que ajudam o consumidor a tomar uma decisão de compra.

Sou consumidor: como me preparar para a Black Friday?

Se você não tem uma loja online, ou se tem um e-commerce, mas também pretende fazer compras, saiba que você já pode começar a economizar para aproveitar todas as oportunidades da Black Friday.

A dica para fazer uma boa economia é utilizar os recursos tecnológicos que temos disponíveis, como as plataformas de comparação de preços, que apresentam gráficos dos valores praticados pelas lojas nos últimos meses, para que você tenha certeza de que a oferta é real.

Além disso, não deixe de pegar um cupom de desconto Black Friday antes de concluir a sua compra. Grande parte das lojas oferecem esse recurso, seja dentro de seus respectivos sites ou em páginas especializadas. Basta fazer uma busca, garantir o seu cupom e pagar menos.

Por mais diferente que este ano se apresenta, a Black Friday certamente fará parte de mais um calendário e cabe a nós, lojistas ou consumidores, aproveitarmos todas as vantagens.