Lava jato: Wassef denunciado por desvios de R$ 4,6 milhões

A força tarefa da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro denunciou o ex-advogado da familia Bolsonaro Frederick Wassef, Marcia Zampiron, o empresário Marcelo Cazzo, a advogada Luiza Nagib Eluf e o ex-presidente da Federação do Comércio do Rio, Orlando Diniz, por peculato e lavagem de R$ 4,6 milhões supostamente desviados das do Sesc, do Senac e da Fecomércio.

A denuncia foi apresentada atraves da Operação E$quema S, que teve que investiga irregularidade com escritorios de advocacia e o Sistema S do Rio.

No inicio do mês  o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, colocou 26 pessoas no banco dos réus por suposta participação no mesmo esquema.

Segundo a Lava Jato as investigações apontaram contratos falsos entre o Sesc, Senac e Fecomercio, o ponto de partida foi a delação premiada de Orlando Diniz.

Em depoimento o ex-presidente da Fecomércio do Rio contou que buscava ‘comprar uma solução política’ e se ‘blindar das consequências dos desvios de recursos que vinham sendo praticados’ por ele. 

Procuradoria vasculhou um endereço residencial e outro comercial ligado ao advogado Frederick Wassef na capital paulista e ainda em seu escritório em Atibaia, no interior de São Paulo.

A quebra de sigilo bancário do grupo indicou que, entre dezembro de 2016 e junho de 2017, o escritório de Luiza Nagib Eluf transferiu R$2,6 milhões ao escritório de Wassef e R$751 mil diretamente a Marcia.