Curta e Compartilhe!

Notícias

Nova líder da Coreia do Norte pode ser uma mulher

A irmã do ditador Kim Jong Un é apontada como possível sucessora.

Publicado

on

A nova líder da Coreia do Norte pode ser uma mulher

Em meio a cada vez mais fortes rumores da morte do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un, que não é visto em público há duas semanas, cresce a possibilidade de ter uma mulher como líder do país, nesse a casa a irmã, Kim Yo Jong.

Para especialistas políticos, Kim Yo Jong, seria a escolha mais óbvia no momento, uma vez que ela já vem sendo ‘treinada’ e foi vista acompanhando o irmão em suas raras aparições públicas.

Porém, os mais céticos questionam se a ligação sanguínea pode superar os preconceitos machistas e patriarcais da sociedade na Coreia do Norte.

A dinastia da família Kim já governa a Coreia do Norte há três gerações. Kim Jon Un sucedeu seu pai e assumiu o controle há 9 anos, ainda com 20 e poucos anos. Sua personalidade violenta logo ficou clara quando mandou executar rivais ao seu poder, o que incluiu um tio e um meio-irmão mais velho.

Os que acreditam que o DNA da família Kim tem mais força, apostam que o povo possa aceitá-la como a nova ditadora. Dentro da família há opções masculinas, mas todas aparentemente desinteressadas em política.

O irmão, Kim Jong Chol, gosta mais de tocar guitarra e não tem nenhum título dentro do governo. Resta então o sobrinho, Kim Han Sol, que segundo consta, teria se exilado no exterior ao se opor à própria família. Há também informações não confirmadas da existência de um filho de Kim Jong Un, com apenas 10 anos de idade, mas não é oficial.

Comentar

Comente a notícia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Meio Ambiente

Brasil – Nível dos reservatórios devem continuar baixo nos próximos dias

Publicado

on


Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News

Relatório elaborado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aponta que todas as regiões do Brasil estão com os níveis dos reservatórios abaixo da média histórica. De acordo com a instituição, as regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste se encontram em situação mais crítica.

A projeção é de que o Sudeste e o Centro-Oeste brasileiros terminem o mês de julho com os reservatórios apenas 26% da capacidade. Para a região Sul, a previsão é de que reservatórios fiquem com 45% da capacidade. O Nordeste, por sua vez, deve terminar o mês com 53% da capacidade, enquanto o Norte com 80%.

Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a crise hídrica não ocorre somente no Brasil, e que se trata de um processo de mudança climática. Ele pontuou, ainda, que o quadro não ocorre em todo o país, mas concentrada particularmente na região Centro-Oeste e no Sudeste.

A estimativa é de que o volume de chuvas do Brasil, em 2021, seja o menor dos últimos 90 anos. Inclusive, o governo iniciou uma campanha para o consumo consciente de água e luz. No entanto, a possibilidade de racionamento foi descartada.


Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News
Continuar lendo

TECNOLOGIA

CONHECIMENTO

NOTÍCIAS POPULARES