A nova líder da Coreia do Norte pode ser uma mulher

Em meio a cada vez mais fortes rumores da morte do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un, que não é visto em público há duas semanas, cresce a possibilidade de ter uma mulher como líder do país, nesse a casa a irmã, Kim Yo Jong.

Para especialistas políticos, Kim Yo Jong, seria a escolha mais óbvia no momento, uma vez que ela já vem sendo ‘treinada’ e foi vista acompanhando o irmão em suas raras aparições públicas.

Porém, os mais céticos questionam se a ligação sanguínea pode superar os preconceitos machistas e patriarcais da sociedade na Coreia do Norte.

A dinastia da família Kim já governa a Coreia do Norte há três gerações. Kim Jon Un sucedeu seu pai e assumiu o controle há 9 anos, ainda com 20 e poucos anos. Sua personalidade violenta logo ficou clara quando mandou executar rivais ao seu poder, o que incluiu um tio e um meio-irmão mais velho.

Os que acreditam que o DNA da família Kim tem mais força, apostam que o povo possa aceitá-la como a nova ditadora. Dentro da família há opções masculinas, mas todas aparentemente desinteressadas em política.

O irmão, Kim Jong Chol, gosta mais de tocar guitarra e não tem nenhum título dentro do governo. Resta então o sobrinho, Kim Han Sol, que segundo consta, teria se exilado no exterior ao se opor à própria família. Há também informações não confirmadas da existência de um filho de Kim Jong Un, com apenas 10 anos de idade, mas não é oficial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.