Curta e Compartilhe!

Economia

5 tendências de vendas online em 2020

Publicado

on

As necessidades de consumo online só crescem e, para se manter forte no e-commerce, é preciso ficar de olhos abertos para as novidades. Mas, quais são as principais tendências de vendas pela internet em 2020. 

Startups de logística 

O sistema de entregas vem sendo cada vez mais otimizados com grande aumento dos pedidos de serviço das transportadoras. As grandes empresas vêm sofrendo muitos com os efeitos da falta de ter uma boa logística. As entregas e o gasto com combustíveis estão causando atrapalhando o comércio de muitas empresas. 

Por isso, as startups que ajudam na logística de e-commerces vem crescendo e expandindo para entregar soluções mais eficientes para os armazenamentos, empacotamentos e os meios de transporte. Também vem se tornando cada vez mais importante para auxiliar na retirada de produtos das lojas e locais de recolhimento.

Brechós de luxo 

Os brechós de luxo vêm ganhando cada vez mais notoriedade e atenção por causa da vontade de muitas mulheres de terem os seus próprios produtos de grife. Como valor deles é muito alto, elas buscam por alternativas de satisfazerem o seu desejo e, uma delas, é comprando peças acessórios de segunda mão. 

As vendas nos brechós vêm crescendo mais do que dos produtos novos. Mas, não se trata de uma concorrência, porque a maior parte desses consumidores normalmente não poderiam ter o produto em primeira mão. E, muitos demonstram o interesse de comprar mais peças da mesma grife. 

A compra e venda de usados também ajudam os consumidores a aumentarem a sua renda, e podem ser realizadas tranquilamente pela internet. Aqueles que mais estão em busca dos artigos dos brechós de luxo são os Millennials e a Geração Z. Eles possuem uma maior preocupação com os impactos no ambiente que a indústria da moda causa e a sustentabilidade. 

Dentro desse contexto, as grifes têm procurado se aproximar dos possíveis clientes para o futuro. Por isso, as vendas online vêm ajudando a transformar as formas de comercializar os itens, com uma estruturação mais transparente no mercado. 

Um dos grandes fatores atrativos é que as peças e acessórios de luxo nunca saem de moda. Eles podem ser reciclados a cada nova coleção, ajudando na composição de looks novos e diferentes. 

Nos brechós podem ser encontradas peças exclusivas, como uma bolsa louis vuitton de uma coleção passada, por exemplo. Muitas bolsasantigas vêm de edições limitadas produzidas de forma manual e com materiais e couros difíceis de serem obtidos na atualidade. 

A sustentabilidade é um dos principais assuntos discutidos dentro do mercado da moda atual. Comparar peças e descartá-las é um desperdício e causa muitos danos para o planeta. Por isso, é importante procurar por formas de mais inteligentes para a reutilização e reciclagem. 

Nos brechós de luxo, ao comprar uma bolsa louis vuitton o consumidor sabe bem o valor que pagou e valoriza ainda mais a peça. Tudo o que é vendido sempre está em um bom estado de conservação mesmo que já tenham sido usados por vários anos. 

Para achar peças vintage, o brechó de luxo é um dos melhores locais para procurar. Mas, para isso, é preciso ter paciência para garimpar por diversas marcas e categorias. É bem comum que os clientes achem verdadeiros tesouros para ajudar a criar composições novas e interessantes. 

Quem não quer ou não gosta de passar horas dentro de lojas, os brechós de luxo online são uma grande oportunidade. Eles ajudam a atrair mais e mais clientes a obterem mercadorias que não poderiam pagar por um produto de marca novo.

Assim, abrir um brechó de luxo pode proporcionar um bom lucro e até ajudar a construir novas amizades. 

Equipamento Wireless e Bluetooth 

Um ponto alto nos serviços de tecnologia é a venda de produtos para Wireless e para Bluetooth. Os consumidores estão sempre procurando por equipamentos tecnológicos que ajudem a evitar problemas de conexão. 

Esses recursos atuam como uma importante base dentro do setor de tecnologia. Por isso, vale muito a pena vender esses tipos de produtos para seus clientes. Alguns deles são os fones de ouvido, auscultadores e as lâmpadas inteligentes. 

Aplicativo para loja

Os aplicativos já muito necessários e comuns entre os consumidores para facilitar a procura por serviços e de produtos. Um dos motivos da grande popularidade deles é que a navegação é bem mais rápida do que pelos sites. 

Mas, para que tudo dê certo, é importante a implementação de estratégias dentro do conceito de omnichannel. 

Marketplaces  

Os marketplaces vêm ganhando cada vez mais a atenção dos consumidores devido aos diversos produtos, facilidade e segurança que eles proporcionam. Por isso, eles continuarão crescendo e aumentando a quantidade de vendas online. Entrar nesse setor possui mais facilidade que outros meios de comércio e ano ganho de autoridade. 

Comentar

Comente a notícia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Economia

Nova Lei do Gás deverá reduzir o preço dos produtos e dar competitividade

O deputado Alceu Moreira (MDB/RS) afirmou nesta terça-feira (9), em entrevista, que o novo Marco Legal do Gás Natural será importante para reduzir o preço dos produtos e dar competitividade à indústria nacional.

Publicado

on

Nova Lei do Gás deverá dar competitividade à indústria brasileira

Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News

O deputado Alceu Moreira (MDB/RS) afirmou nesta terça-feira (9), em entrevista, que o novo Marco Legal do Gás Natural será importante para reduzir o preço dos produtos e dar competitividade à indústria nacional.

Na Câmara, onde a matéria tramita, há expectativa de votação da Nova Lei do Gás em Plenário nesta quinta-feira (11). Texto original aprovado na Câmara em setembro, sem as modificações feitas pelo Senado, atendem melhor às necessidades do setor produtivo
 
Segundo o parlamentar, a matriz energética brasileira atual traz custos muito caros, os quais seriam diminuídos com a expansão do mercado de gás natural. Na configuração atual, ele explica, o preço dos produtos é impactado pela energia mais cara no processo de fabricação, o que diminui a competitividade da indústria nacional no mercado externo.
 
“É um custo [da energia utilizada] que está no produto, que será reduzido e vai mudar nossa capacidade competitiva. O custo dessa energia é muito mais barato do que o custo contínuo da energia que nós temos hoje. A indústria nacional precisa de muitos movimentos como esse para que ela possa ter competitividade no mercado internacional, mas esse é, com certeza, um passo determinante”, avalia.

Veja como aprender mais sobre:

Votação da proposta

O texto original da proposta foi aprovado na Câmara e, posteriormente, no Senado. No entanto, com a adição de nove emendas pelos senadores, a proposta voltou para apreciação dos deputados, que precisam decidir se mantém ou não a nova redação. A tendência é que a Casa rejeite as alterações do Senado. O próprio relator do texto, deputado Laercio Oliveira (PP/SE), deu parecer favorável para rejeição de todas as emendas e trabalha para obter maioria na votação marcada para esta quinta.
 
Um dos pontos de maior tensão diz respeito aos critérios de classificação de gasodutos. Pela proposta da Câmara, a ANP seria a responsável pela classificação dos dutos de transporte. No entanto, o texto aprovado pelos senadores retirou essa competência, transferindo-a para os estados. 

“Há, por exemplo, gasodutos que têm características de transporte, mas eles estão dentro de um estado e, de alguma forma, se isso for colocado na mão dos entes estaduais, há o risco de criação de riscos de mercados regionais”, avalia Bernardo Sicsú, diretor de eletricidade da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). 

Defensores da proposta original, o que inclui o governo federal e entidades que representam os consumidores de gás, argumentam, também, que o PL aprovado no Senado dificulta o acesso de terceiros às infraestruturas essenciais da cadeia do gás, como gasodutos de escoamento, terminais e unidades de tratamento.

O texto original previa que os ofertantes de gás teriam acesso facilitado a essas estruturas, o que aumentaria a competitividade no mercado.

Marco Legal do Gás

O PL, tratado como novo marco regulatório do gás natural, tenta facilitar a construção e ampliação de gasodutos pela iniciativa privada. A ideia é que as empresas que desejem explorar o serviço precisem apenas da autorização da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Atualmente, a legislação exige a concessão (em que a empresa precisa vencer um leilão promovido pelo governo).

O texto também viabiliza a quebra do monopólio da Petrobras no setor. A estatal é responsável por 100% da importação e 80% da produção do item no País. Com essas e outras medidas, especialistas esperam que novos agentes passem a atuar no setor, aumentando a competitividade e reduzindo o preço final do gás para as empresas e o consumidor final.


Mentes Blindadas no Google News
Mentes Blindadas no Facebook News
Continuar lendo

TECNOLOGIA

CONHECIMENTO

NOTÍCIAS POPULARES