Bolsonaro deixa evangélicos em segundo plano na vaga do STF

Os evangélicos que esperavam um ministro evangélico foram deixados em segundo plano por Bolsonaro e o desembargador Kassio Nunes Marques foi recebido com desconfiança pelos mesmo que esperam de Bolsonaro um ministro “terrivelmente evangélico” para o cargo de Ministro do STF.

O “desconhecido” Kassio Nunes Marques é favorito para suceder o ministro Celso de Mello que se aposenta no dia 13 de outubro. Apesar da maioria da bancada evangélica demonstrar submissão, deixaram claro que continuaram na luta para emplacar um nome na próxima vaga, que será do ministro Marco Aurélio de Mello que se aposenta no ano que vem.

O presidente Jair Bolsonaro em varias vezes disse que o próximo nome que indicaria para o STF seria “terrivelmente evangélico” e prometeu que seria na primeira vaga que surgisse, entanto mudou de ideia e acabou prezando para vaga de Celso de Mello um nome não evangélico, mas, segundo ele de sua confiança.

O pastor Silas Malafaia informou ao Estadão que “Bolsonaro já tinha dito para mim que a primeira vaga não teria nada a ver com evangélico. A outra vaga é que será de um terrivelmente evangélico. Eu não conheço o desembargador, não sei quem é. Fazer juízo de valor de quem não se conhece é meio chato. E Bolsonaro só me disse que estava vendo alguém do mundo jurídico, foi a única coisa que ele tinha me dito.”

O pastor Silas ainda acrescentou “Se na outra vaga ele não escolher um cara terrivelmente evangélico, aí sim vai gerar frustração e indignação no mundo evangélico. Para agora não.”