tecnico de enfermagem vitima de covid-19

O Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte registrou, nesta segunda-feira (17), a morte de um técnico de enfermagem da rede de saúde privada por COVID-19 na capital mineira.

Bruno Henrique de Souza de 35 anos deixou esposa, uma filha de quatro anos e um enteado de 14. Ele trabalhava no Hospital Belo Horizonte Região Nordeste da cidade.

De acordo com um membro do Conselho Municipal de Saúde, Bruno estava internado há 37 dias no Hospital Metropolitano Doutor Célio de Castro, também em Belo Horizonte.

O técnico de enfermagem Trabalhava no CTI do Hospital Belo Horizonte e na Home Care Cuidar. Era filho de Dona Edna, da Comissão Local de Saúde do CS (Centro de Saúde) Granja de Freitas.

Bruno Henrique de Souza é o oitavo profissional de saúde morto pela COVID-19 em Belo Horizonte. Todos eles eram técnicos em enfermagem, a função mais vulnerável a doença nos hospitais.

Além dele, nessa sexta-feira (14), Shirlene Alves, de 57 anos, servidora do Centro de Saúde Paraúna, em Venda Nova, morreu pela doença. Ela era mãe de dois filhos. Na última quarta (12), Josielle Ribeiro dos Santos, de 37, funcionária da UPA Centro-Sul e da Santa Casa BH, perdeu a vida infectada.

No último dia 8, também foi registrada a morte de José Célio da Silva. Ele não resistiu à enfermidade aos 54 anos e trabalhava na UPA do Hospital Odilon Behrens.

No fim de julho, no último dia 26, o técnico em enfermagem Gerônimo Batista Pires teve a morte por COVID-19 registrada. Ele trabalhava na UPA Barreiro.

Outras três mortes ocorreram em Belo Horizonte, porém na rede pública estadual: Maria Aparecida, que trabalhava no Hospital Alberto Cavalcanti; Renê Serafim Soares, servidor do HPS João XXIII; e Luiz Alberto Alves, funcionário da Maternidade Odete Valadares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.